Norte-americano se torna o primeiro homem a viver sem o coração


O norte-americano Craig Lewis, de 55 anos, se tornou o primeiro homem a viver sem o coração. Uma máquina o mantém vivo ao manter o sangue em circulação contínua, fazendo, no entanto, com que ele não tenha pulsação, já que não há batimentos cardíacos. Em março de 2011, Lewis sofria de uma anomalia no coração por conta do crescimento de proteínas anormais e os médicos atestaram que um marca-passo não funcionaria, de acordo com reportagem do jornal "The Daily Mail". Dois médicos do Texas Heart Institute (Instituto do Coração do Texas), nos Estados Unidos, criaram a solução de instalar um aparelho que mantivesse o sangue do paciente em um fluxo contínuo em seu corpo. A medida não exige que o aparelho simule batimentos cardíacos e, com isso, não tenha pulsação.
Os médicos primeiro removeram totalmente o coração de Lewis para instalar o aparelho. Em um dia, ele já estava acordado e conversava com os médicos. Antes da cirurgia, ele tinha apenas 12 horas de vida, segundo os médicos. A cirurgia, realizada em março, instalou um pequeno dispositivo no lugar do coração do paciente. Por meio de lâminas giratórias, o fluxo de sangue por todo o corpo é mantido de forma contínua. O Instituto do Coração do Texas afirma que, antes da cirurgia, Lewis estava conectado a uma máquina de hemodiálise, um aparelho para respirar e outro para controlar os batimentos do coração. (G1)